quarta-feira, 18 de Abril de 2007

Aniversário de “O Livro dos Espíritos”

Faz hoje precisamente 150 anos que “O Livro dos Espíritos” foi publicado em Paris no dia 18 de Abril de 1857, contendo os fundamentos da Doutrina Espírita sobre a imortalidade da alma, a origem e a natureza dos espíritos, a comunicabilidade entre o mundo material e o mundo espiritual, as leis morais e a vida futura.
Allan Kardec, pedagogo, discípulo de Pestalozzi, figura de renome, compilador do Espiritismo, iniciou, sob o comando do Espírito da Verdade, uma Nova Era no âmbito do Conhecimento das leis que regem o Universo e a Alma Humana, alargando horizontes na compreensão das palavras de Jesus e renovando esperanças na conquista da Vida Eterna através da Reencarnação.
Com “O Livro dos Espíritos”, Allan Kardec convoca o Homem à sua reforma interior, pelo entendimento das razões do “SER, do DESTINO e da DOR”, nas palavras célebres de Léon Dennis. O Ser Humano assume, pelo Livre Arbítrio, a responsabilidade na condução do seu progresso espiritual e do destino do Planeta.
Nos primórdios do Século XXI, carecem de reflexão as palavras de Bezerra de Menezes:

“…
O nosso conhecimento da verdade é um compromisso que firmamos com o Senhor da Vida para tornar a sociedade feliz. Não sejais inúteis ao conhecimento da verdade. Há muita aridez nos corações e muito sofrimento no mundo íntimo das criaturas. Semear a luz da esperança no solo fértil das necessidades da criatura é um dever que nos diz respeito em nome daquele que é o caminho, a verdade e a vida… A hora é esta, que não pode ser postergada. Amai e tende alegria, pois estais convocados à obra do amor perene… Deus vos abençoe, almas queridas. Com o carinho do devotado servidor humílimo e fraternal.
Bezerra de Menezes. Muita Paz!
(extracto da Mensagem aos Espíritas e Espiritualistas, recebida pela psicofonia do médium Divaldo Pereira Franco, na palestra de encerramento do I Encontro Espírita na cidade espiritualista Lily Oale, NY, EUA, em 22 de Julho de 2006.)

Nota: Ao lado, coloquei uns videos retirados do Yootube. No 1º está o "Poema de Gratidão"; no último, podemos ouvir Bezerra, através da psicofonia de Divaldo. Desfrutem.




Sem comentários:

Enviar um comentário